Notícias

PREFEITURA CONTA HISTÓRIA DE FAMÍLIAS VÍTIMAS DA COVID-19

Quatro famílias, quatro perdas irreparáveis, quatro depoimentos cheios de emoção e saudade. Assim é a campanha “Não perca quem você ama”, idealizada pela Coordenação de Comunicação de Arapiraca e que tem como objetivo mostrar a população sobre a importância de seguir todas as medidas de segurança contra à COVID-19.

Desde o inicio da pandemia, há pouco mais de um ano, mais de 350 arapiraquenses morreram por complicações com a doença. Os relatos da campanha estão sendo divulgados nas redes sociais da prefeitura e no canal do município no youtube, e são de pessoas que perderam familiares para o vírus.

“São vidas de pessoas que toda Arapiraca conhecia, vítimas de um vírus que nos faz lutar há um ano. Contanto histórias e gente próxima buscamos conscientizar aqueles que negam a doença”, destacou a coordenadora de comunicação, Monica Nunes.

“Infelizmente nessa pandemia há muitas perdas, de muitos arapiraquenses e nos solidarizamos com cada um”, comentou o prefeito Luciano Barbosa sobre a campanha.

O primeiro a compartilhar sua história foi o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Arapiraca, o empresário Antonio Bento, que perdeu o irmão, Severino Bento – o Silva – no início de março. Ele lembrou da última vez que conversou com o irmão, minutos antes de entrar na UTI, onde não mais saiu.

“Só sente mesmo uma situação assim se por acaso você passar o que nós estamos passando. Você vai ver o quanto é importante seguir as orientações dos profissionais de saúde, para que tenhamos cuidado e façamos o protocolo pra quando precisar sair de casa”, falou bastante emocionado.

Outro forte depoimento foi o de Rosana Rios, que após ser positivada foi internada no mesmo hospital que o marido, Gilberto Quintino – o Gilberto da Farmácia Nacional -, mas apenas ela conseguiu sobreviver ao vírus. “Por mais que o pessoal esteja vendo a situação, mas parece que não acredita. Só acredita quando perde”, disse. O empresário faleceu em junho do ano passado.

O terceiro relato é de uma dor ainda mais forte, uma saudade em dobro. Mary Castro perdeu em apenas treze dias a filha, a assistente social Iza Castro, e o marido, o radialista Edvaldo Silva. As mortes deles aconteceram nos dias 03 e 16 de junho de 2020. Apesar da tragédia, em sua fala, ela afirmou: “Se a gente se prevenir, se precaver, eu acho que vamos ter um futuro bem melhor do que se teve até hoje”.

O último depoimento será o do ator e conselheiro tutelar Aemerson Barros, que viu o irmão, Wanderson, morrer no mesmo hospital em que ficou internado por vários dias, também com covid-19. O trabalho contou com apoio do empresarial Apice, espaço onde os depoimentos foram gravados.

(Visited 247 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *